Anafilaxia

Texto original elaborado pela American Academy of Allergy, Asthma and Immunology (AAAAI).

emergenciaAnafilaxia é uma extrema reação alérgica envolvendo todo o corpo. Pode provocar complicação respiratória, perda de consciência e até mesmo o óbito do paciente.

A anafilaxia deve sempre ser considerada uma emergência, requerendo um atendimento médico imediato, seguido de acompanhamento por um especialista.

A anafilaxia ocorre em algumas pessoas severamente alérgicas, depois de uma exposição a determinadas substâncias. As mais comuns incluem alimentos, medicamentos e picadas de insetos.  Estima-se que até 15% da população está sujeita a risco de sofrer uma crise anafilática.

Mecanismos:

A anafilaxia é provocada da mesma maneira que outras rações alérgicas: o sistema imune – que serve como defesa do nosso corpo contra substâncias potencialmente perigosas tais como germes – falha e reage excessivamente a uma substância inofensiva (um alergênico) como se esta substância pudesse apresentar grande perigo para o corpo. Como parte da resposta anormal do sistema imunológico, proteínas denominadas anticorpos são produzidas para detectar e ajudar a destruir os “invasores” do corpo. Um anticorpo específico chamado imunoglobulina E, ou IgE, é responsável pelas reações severas nas pessoas alérgicas.

Na primeira vez que um determinado alergênico entra em contato com uma pessoa predispostas a alergias, o seu sistema imune produz os anticorpos IgE (alergênicos-específicos). Estes anticorpos unem-se à superfície das células mastócitos. Nas próximas vezes que essa pessoa alérgica tem contato com o alergênico, o IgE identifica-o e inicia rapidamente a liberação de determinados produtos químicos, tais como histamina. Estes poderosos produtos químicos causam as reações alérgicas, podendo chegar às anafilaxias.

Algumas pessoas podem também sofrer graves crises alérgicas devido à liberação dos mesmos produtos químicos, mesmo sem a presença dos anticorpos IgE. (fenômenos conhecidos como reações anafilatóides). Suas causas incluem o uso de determinados medicamentos contra dor e contraste injetado usado em exames radiológicos.

Sintomas da anafilaxia:

A anafilaxia é uma “reação sistêmica” o que significa que as várias partes do corpo são afetadas ainda que distantes do local inicial do contato com o alergênico (por exemplo, o local da picada de um inseto ou o estômago no caso de algum alimento). Os sintomas da anafilaxia podem variar de suave a severo e são potencialmente fatais. Uma lista dos possíveis sintomas anafiláticos que podem ocorrer, sozinhos ou combinados, incluem:

Pele: inchaço, coceira, irritação, vermelhidão, erupção cutânea.

Respiração: ofegante, respiração curta, fechamento da garganta, tosse, rouquidão, dor/aperto no peito, congestão nasal, sintomas de febre do feno, dificuldade de engolir.

Estômago: náusea, dor/cólica, vômito, diarréia, coceira na boca e garganta.

Circulação: palidez, cor azulada, pulso fraco, tonteira, baixa pressão, choque.

Outros: ansiedade, coceira, lacrimejamento ou vermelhidão dos olhos, dor de cabeça, perda de consciência, aperto no útero.

As reações geralmente surgem logo após a exposição, porém algumas podem também ocorrer com algum atraso. Algumas vezes os sintomas diminuem, para retornar ou progredir somente algumas horas depois. Os sintomas mais perigosos são a queda de pressão, dificuldade de respirar, choque e perda de consciência, todos representando risco de vida.

Há uma variedade de outras circunstâncias médicas que podem provocar sintomas parecidos com a da anafilaxia, tais como problemas cardíacos, ataque de ansiedade, choques e apreensões, entre outros. Se você observar qualquer sintoma incomum é de vital importância procurar a atenção médica imediata para determinar suas causas.

Substâncias que provocam reações:

Alimentos: Essencialmente todo alimento pode provocar uma reação alérgica, mas os mais relacionados com a anafilaxia são: amendoim, castanha (noz, caju, castanha do Brasil), marisco, peixes, leite e ovos. Os aditivos de alimento tais como sulfitos podem também provocar reações anafilatóide.

Picadas de Insetos: O veneno de alguns insetos tais como abelhas, vespas e formigas de fogo causam desconforto na maioria das vezes. Entretanto, as reações podem ser graves e mesmo mortais para pessoas com alergia a estes venenos.

Medicamentos: Virtualmente todo medicamento pode provocar uma reação alérgica. As categorias mais comuns de drogas que causam a anafilaxia são os antibióticos e antidepressivos. Terapias médicas tais como determinados líquidos utilizados em pós cirurgias, vacinas, sangue e seus derivados, contrates para radiologias, medicamentos para da dor e outras drogas podem causar anafilaxia ou reações anafilatóide.

Látex: Alguns produtos feitos do látex natural (da árvore de borracha) contêm alergênicos que podem provocar reações em indivíduos sensíveis. O maior perigo de reações severas ocorre quando o látex entra em contato com áreas úmidas do corpo ou partes internas durante uma cirurgia, pois os alergênicos são mais rapidamente absorvidos no corpo.

Exercício: Embora raramente, exercícios podem também desencadear uma anafilaxia. Estranhamente as reações podem ocorrer eventualmente, nem sempre após os mesmos exercícios e em alguns casos, ocorre somente quando a pessoa ingeriu determinados alimentos antes do exercício.

Outros: A anafilaxia tem sido raramente associada com exposição a fluido seminal, hormônios, e exposição a temperaturas extremas. Quando nenhuma causa for encontrada e a reação for definitivamente anafilática, o fenômeno é denominado de “anafilaxia idiopática”.

Tratamento e prevenção:

Se você (ou alguém que esteja com você) começar a apresentar sintomas severos de alergia, procure imediatamente ajuda médica e um local de emergência, para receber uma injeção de epinefrina (adrenalina) o que alivia os problemas respiratórios e melhora a circulação, além de outros medicamentos tais como os antiestamínicos (que reduzem o inchamento e coceiras) ou os esteróides (que reduzem ainda mais as reações alérgicas). Quanto mais cedo a reação for tratada muito provavelmente menos severa se tornará. Mesmo se você recebeu o tratamento médico imediato no local, você deve ser transportado a um hospital para uma avaliação adicional.

Se você sentir freqüentemente sintomas anafiláticos, é fundamental que um alergista/imunolgista faça um acompanhamento constante e um tratamento continuado, examinando seu histórico médico e conduzindo outros testes para determinar a causa exata, Uma vez que o desencadeador da reação é identificado, seu alergista/imunologista poderá lhe fornecer informações detalhadas de como evitar as situações comprometedoras e outras relacionadas. Evitar os alergênicos é primordial para permanecer seguro, porém isto requer um alto grau de conhecimentos e educação.  Conselhos específicos podem incluir:

Alimento: como interpretar etiquetas do ingrediente das embalagens; controle dos pedidos nos restaurante; cuidados com contaminações cruzadas no preparo da alimentação.

Insetos: redução de perfumes; roupas de cor brilhante; atividades do risco elevado; uso de camisas, luvas e calças longas.

Medicações: quais drogas/tratamentos a serem evitados; listas de medicamentos alternativos que podem ser tolerados.

Em alguns casos, seu alergista/imunologista pode sugerir tratamentos específicos. Por exemplo, as vacinas que virtualmente eliminam o risco de anafilaxia por picadas de insetos já estão disponíveis bem como procedimentos que tornam possível ser tratado com determinados medicamentos a que você é alérgico.

Seu alergista pode também prescrever uma seringa auto-injetável de epinefrina (adrenalina) para carregar com você. Este medicação inverte a reação alérgica, ao menos temporariamente, para lhe fornecer o tempo necessário para chegar a um local de emergência médica. Aprenda como auto administrar a injeção de epinefrina e sempre substitua o dispositivo antes de sua data de vencimento.

(Nota:  Esta injeção fabricada com as marcas de EPIPEN e ANAPEN são de difícil obtenção no Brasil e necessitam ser importadas)

Pode ser importante você usar um bracelete ou um colar especial que o identifique como sendo um alérgico severo. Estes dispositivos podem também fornecer outras informações importantes sobre sua condição médica.

Se você tiver uma reação anafilática, você deve informar sua família, pessoas de sua relação, colegas de trabalho, funcionários da escola e profissionais de saúde para que possam prestar atenção aos seus sintomas e ajudar-lhe a evitar os desencadeadores de suas crises de alergia. Sobretudo, certifique-se trabalhar na parceria com seu alergista para assegurar sua segurança e saúde.

O que o seu alergista/imunologista pode fazer:

  • Determinar se você tem ou está na área de risco de uma anafilaxia.
  • Determinar quais podem ser os causadores de suas reações.
  • Ensiná-lo a evitar os alergênicos.
  • Prover conhecimento sobre como reconhecer sintomas de uma reação alérgica.
  • Estabelecer um plano de tratamento de emergência para ser usado por você e outros.
  • Oferecer a mais atualizada terapia para tratar e/ou prevenir reações.

Seu alergista/imunologista pode lhe fornecer mais informações sobre anafilaxia.

O conteúdo deste artigo tem um propósito somente informacional.  Ele não pretende substituir uma avaliação de um médico.  Se você tiver questões pertinentes à área médica, contate um alergista/imunologista.

medico

Um comentário sobre “Anafilaxia

  1. Foi bom ler sobre o assunto.sofro de anafilaxia idiopática e atualmente me recupero de uma crise que me assustou. Vou perguntar ao meu alergo se posso carregar injeção de adrenalina. Meu caso é sério sou Técnica de enfermagem e não posso mais exercer a profissão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *