Inalação com Espaçadores

Espaçador é um reservatório que estoca o medicamento que será nebulizado. Sua eficiência depende do volume, tamanho, da presença de baixa carga eletrostática, de sua forma, da boa utilização e conservação, além da capacidade pulmonar do paciente, a temperatura e umidade do ambiente. O spray com o medicamento é encaixado em uma das extremidades, na outra, encontra-se o bocal que pode ser em forma de máscara, onde existe uma válvula unidirecional, por onde o paciente inala.

Após introduzir de um a cinco jatos do spray em seu interior, a inalação através do espaçador deve ser feita imediatamente, pois a meia-vida da droga na câmara do espaçador, varia de 10 a 30 segundos, e o paciente inspira com ciclos respiratórios profundos.

Todo Espaçador é igual? Qual o melhor?

Não, cada espaçador é diferente, seja de plástico ou alumínio, seja de 270 ml ou de 650 ml de volume, ou até mesmo seja de máscara ou bucal, e não se pode rotular qual o melhor espaçador, porque tudo depende do paciente (idade, altura, peso, gravidade da crise, capacidade inalatória).
Em relação ao uso do bucal ou da máscara, depende da idade do paciente. As crianças com idade inferior a quatro anos utilizam máscaras que permitem a manobra de respiração espontânea e tranqüila, já que pacientes abaixo dessa idade são incapazes de realizar uma inspiração profunda e lenta. Mas não significa afirmar que o uso de máscaras é restrito a essa faixa etária.Já em relação ao volume, os fatores que vão definir qual o melhor espaçador para o paciente vão depender não apenas da idade, mas também da altura e da capacidade pulmonar do asmático. Aerocâmaras de grande volume ao contrário do que se imagina, não possuem partículas respiráveis suspensas por mais tempo do que nos de pequeno volume, por essa razão estipulou-se o tempo de 10 segundos a partir do primeiro jato de spray até a inalação do medicamento, já que o mesmo tem vida útil dentro da câmara de no máximo 20 segundos. Outro aspecto técnico notado para o uso de espaçador com grande volume é a anulação do efeito de inércia do aerossol. Espaçadores de pequeno volume reduzem a velocidade das partículas inaladas. Portanto, não se pode estipular se um espaçador de pequeno volume é o melhor do que um volume menor. E também existe a diferença no material do espaçador, seja alumínio ou plástico. Nesse quesito a diferença está na carga eletrostática, que reduz a quantidade de droga que será inalada Os melhores modelos são fabricados com material que menor apresenta carga eletrostática. A literatura médica afirma que a carga eletrostática será sempre menor no espaçador de alumínio, pois este não possui carga eletrostática. Mas se após a lavagem com detergente neutro, a aerocâmara for enxugada com tecido ou papel, essa importante diferença na carga eletrostática é perdida e o espaçador perde sua efetividade. Porém é errado afirmar que espaçadores de alumínio são melhores do que os de plástico, já que tudo depende do paciente e das condições do ambiente.

Principais cuidados com espaçadores

Seja qual for o espaçador – pequeno ou grande volume, alumínio ou plástico – deve-se lavar com detergente neutro, e a secagem deve ser feita por escoamento, ou seja, não se deve enxugar a aerocâmara com flanelas, toalhas, nem em secadora de pratos, uma vez que esse tipo de procedimento afeta a carga eletrostática, e o medicamente não será aproveitado com efetividade.
O local onde se guarda o espaçador não deve ser úmido nem sujo.
Quando usado, não deve estar molhado, úmido ou sujo.

Tuíra Teixeira de Oliveira – Alergo House

Veja modelos de Espaçadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *